21.7.08

A "utopia" cubana...

Num canto envergonhado de um jornal, noticiava-se, ontem, que o Presidente cubano, Raul Castro, decidira atribuir terrenos agrícolas aos privados. Depois de Fidel, esta notícia seria mais uma... depois da permissão dos telemóveis e da compra de micro-ondas. O motivo para tal decisão é que era intrigante. A maioria do solo arável era propriedade do Estado, no consulado de El Comandante. De acordo com os cânones socialistas. Mas, helas, as terras encontravam-se abandonadas...ninguém as cultivava.
Mas, então, não era Cuba o exemplo do socialismo real, da igualdade?! A propriedade privada não era um vício capitalista?
Enfim, andou aquele homem a pregar durante 40 anos as delícias do socialismo para os renegados trabalhadores agrícolas o mandarem dar uma volta. Não é justo,convenhamos. O melhor que El Comandante tem a fazer é pôr as barbas de molho...

Etiquetas:

3 Comments:

Anonymous vitor m said...

As revoluções (culturais, sobretudo) não se fazem em décadas. A chinesa falhou, a soviética idem e a cubana é o que se vê.
Não esperavas, após séculos de capitalismo (nas suas mais variadas versões: escravatura, feudalismo ...), que o povo aderisse, em poucas dezenas de anos, a novas formas de organização social e mais justas distribuições de riqueza.
Eu não estou estupefacto com o descambar destas experiências porque na realidade nada de essencial mudara. Em muitos casos tratou-se de substituir o capitalista privado pelo estatal.
A "extrema-esquerda" tinha razão qd apelidava o regime soviético de capitalismo de estado...

22/7/08  
Blogger mdsol said...

A ver vamos. E espero que vejamos coisas boas

:)

22/7/08  
Anonymous Anónimo said...

texto fantástico! Ironia pura. O socialismo foi-é uma das maiores desgraças da história da humanidade! Nunca se matou tanto ser humano e com propaganda d bem-estar!só os carácteres d ódio, violência e crueldade desejam impor o socialismo (como o islamismo, por isso se defendem).enquanto isto nao for banido, haverá seguidorer destas crueldades.

23/7/08  

Enviar um comentário

<< Home