5.4.07

As habilitações de Sócrates (III)

O caso da licenciatura do primeiro-ministro deixou de ser um caso de polícia para passar a assumir contornos políticos. Quem tem seguido todo o processo sabe o incómodo que o assunto tem provocado nos círculos governamentais. Já passaram dias suficientes para o gabinete do primeiro-ministro esclarecer a situação. Ora, à medida que se vai sabendo mais sobre este caso, mais ensurdecedor se torna o silêncio do governo. Quem se arvora em defensor da transparência e do rigor não pode continuar a "fazer de conta". Em causa está, sobretudo, o seguinte:
  • a credibilidade de uma instituição privada de ensino superior, cuja existência depende do ministério do ensino superior;
  • a promiscuidade entre os interesses políticos e privados;
  • a demissão de um assessor do ministro da justiça por envolvimento no processo da Universidade Independente;
  • as cada vez maiores contradições nos intervenientes, sejam professores, funcionários ou instituições;
  • as provas, cada mais mais contundentes, de que há factos nebulosos e de legalidade duvidosa;

Perante tudo isto, nada se ouve dos envolvidos. Mais informações podem ser lidas aqui e aqui.

Etiquetas: , ,

1 Comments:

Blogger Jacinto Figueiredo said...

O que me choca é a sinceridade e legalidade do assunto.
Já repararam que problemas do género residem nas instituições privadas! Foi Moderna, agora Independente e haverá outras que ainda nínguem descobriu!!!
Porque será?
Pa ra ser um bom médico ou Engenheiro tem que ser possuidor de curso correspondente.
Para ser bom político não necessita de curso nenhum!

6/4/07  

Enviar um comentário

<< Home