17.9.08

Pedofilia Islâmica

Segundo o mais que insuspeito "El País", um tal Mohamed ben Adberrahman Al Magrhraoui, clérigo muçulmano marroquino, emitiu uma fatwa que é uma pérola de civilização.

"Contaram-nos, e temos conhecimento, que as meninas dessa idade-9 anos!- dão melhores prestações que as mulheres adultas. Estão tão capacitadas para se casar como as jovens de 20 anos".

O iluminado escreveu isto mesmo na sua página da internet dedicada ao Al Corão. E não é um personagem qualquer: já escreveu dezenas de livros sobre o "Islão" e o Al Corão.
Aliás, não é grande novidade: Maomé "casou" com uma MULHER que ainda não tinha 9 anos-Aisha, a sua "mulher" predilecta.
Acrescente-se que a fatwa é uma espécie de ordem islâmica decretada por alguém a quem os muçulmanos reconhecem autoridade.
A mais célebre foi a de Khomeini que deu autorização(?) aos muçulmanos para matar Salman Rushdie por ter escrito "Os Versículos Satânicos".
Na altura, valeu-lhe Margareth Thatcher que lhe garantiu protecção. Estadista, viu com anos de antecedência no que iria cair a Europa!
Garantimos que esta notícia não vai saír nos "media" Portugueses!
E que os cerebelos progressistas, avançados, multiculti não sei quantos, jacobinos, estalinistas, ateus e todos os admiradores da "civilização islâmica" vão ficar caladinhos que nem ratos, com o rabo entre as pernas, em nome da defesa dos direitos das crianças!

Etiquetas: ,

11 Comments:

Blogger Perla said...

Realmente, isto brada aos céus!!!

17/9/08  
Blogger Polêmica said...

Muito importante essa notícia! E agora quem vai lutar para mudanças na cultura da civilização Islâmica? Aqui no Brasil os índios tem o costume de matar seus filhos que nascem com deficiencias físicas, quando Cristãos lutam para mudar isso, são perseguidos e discriminados!

Beijinhos!

17/9/08  
Anonymous Anónimo said...

Perfeito!

E custa, se custa. Como cristã, como humana, como, de alguma forma, crente na espécie humana.

...Ou melhor, talvez não. Porque são os interesses, os jogos, o poder a gritar mais alto do que a simples natureza humana, partilhando o aceitável numa vivência que se deseja, partilhada e igual.

E o que fariam depois esses tais defensores se depois lhes fossem cobrados dividendos pela suspeita de que são alvo em situações semelhantes, deste domínio? Seria óbvio, esperado que se dissesse "Pois, não admira!"

Seria hipócrita qualquer atitude contra.E se não se sabe, não dói e persiste o conforto da ignorãncia alheia relativamente aos verdadeiros factos desta (des)Humanidade. É outra esta forma de hipocrisia.

Beijinhos

17/9/08  
Blogger osátiro said...

Perla,Polémica, felizmente que algumas destas coisas ainda se vão sabendo.
Mas podemos imginar o que se passa nas "culturas" tribais perdidas em zonas remotas...

Beijinhos também para a anónima.

18/9/08  
Blogger osátiro said...

Polémica, essas matanças de indígenas é pura selvajaria. Mas o que nós vemos são ataques constantes contra os Cristãos e "esquecimento" dessas barbaridades.

18/9/08  
Blogger Canela said...

É simplesmente atroz.........

É bom que se vá divulgando, conforme se pode......

18/9/08  
Anonymous Anónimo said...

Lá porque há fundamentalistas muçulmanos a matar tudo o que mexe, não me parece nada sério ir buscar o exemplo de Maomé, que viveu nos séculos VI-VII, época em que era considerado normal casar com uma menina de 9 anos. Muitos séculos depois, os reis cristãos ainda faziam isso e você nunca se queixou. Anda esquecido da história, ou conhece somente a história que lhe convém?

19/9/08  
Blogger osátiro said...

Se era normal esse casamento no tempo de Maomé só prova que ele era um tipo normalíssimo, nada de especial, ou seja, sem o carácter de ..."profeta"!
Quanto aos Reis católicos que fizeram "isso"- e houve algins de facto- não consumaram o casamento com crianças: havia um acordo jurídico e de "cavalheiros" ( não escrito, muitas vezes), mas a consumação ficava para mais tarde.
Muito diferente na prática.

19/9/08  
Anonymous Anónimo said...

MAS A NOTICIA NÃO É SOBE HOJE ? PUXA PARECE QUE É

19/9/08  
Anonymous Anónimo said...

Você deve ter para aí uns 1500 anos de idade e é omnipresente, que até sabe quando é que os casamentos eram consumados. A única prova que consigo ter da consumação naqueles tempos era quando havia filhos. Aisha teve algum filho de Maomé? Desconheço. Diga-mo você, que tanto sabe. Há quem defenda que a consumação se deu aos 14 anos de Aisha. Quem tem razão? Você o saberá. Rainhas católicas sei que houve que foram mães aos 15 anos, pelo menos. Não estou a criticar a realeza cristã, pois sei situar-me devidamente na época histórica, sem preconceitos da época em que vivo. E Aisha, foi mãe com que idade?

E dizer que, por ser um tipo normal, Maomé não tinha carácter de profeta, é mais uma demonstração de "non-sense" da sua parte. Todos os profetas eram humanos e tinham fraquezas próprias destes, e Maomé, ao contrário de Jesus, nunca se proclamou filho de Deus, tanto quanto sei.

O que me separa de si é que eu não tenho religião, mas não é por isso que desato a "desancar" em todas as figuras históricas ligadas a uma. Você, pelo contrário, porque é um fundamentalista cristão, não consegue avaliar nada racionalmente nem integrar as acções no seu momento histórico. É um Cruzado que nasceu séculos depois das Cruzadas e não encontrou o seu lugar no mundo. Se fosse muçulmano, tinha nascido no momento certo. Já não escrevia era baboseiras nenhumas, que, com o seu fundamentalismo, já se tinha feito explodir em nome de Alá.

20/9/08  
Anonymous Anónimo said...

http://www.midiasemmascara.org/index.php?option=com_content&view=article&id=8197:a-pedofilia-do-hamas&catid=115:denuncias&Itemid=134
Um evento de gala ocorreu em Gaza. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos.

Enquanto a imprensa exalta os "lutadores da liberdade do Hamas", os "rebeldes", ou então o PT e demais organizações de esquerda no Brasil dão apoio integral ao mesmo (conforme nota do secretário geral do partido, Valter Pomar durante a época do conflito), o mundo desconhece uma das histórias mais nojentas de abuso infantil, torturas e sodomização do mundo vinda do fundo dos esgotos de Gaza: os casamentos pedófilos do Hamas que envolvem até crianças de 4 anos. Tudo com a devida autorização da lei do islamismo radical.



A denúncia é do Phd Paul L. Williams e está publicada no blog thelastcrusade.org e é traduzida com exclusividade no Brasil pelo De Olho Na Mídia (ninguém mais na imprensa nacional pareceu se interessar pelo assunto).

Um evento de gala ocorreu em Gaza. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos.

Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planejada.

"Nós estamos felizes em dizer a América que vocês não podem nos negar alegria e felicidade", Zahar falou aos noivos, todos eles vestidos em ternos pretos idênticos e pertencentes ao vizinho campo de refugiados de Jabalia.

Cada noivo recebeu 500 dólares de presente do Hamas

As garotas na pré-puberdade, que estavam vestidas de branco e adornadas com maquiagem excessiva, receberam bouquets de noiva.

"Nós estamos oferecendo este casamento como um presente para o nosso povo que segue firme diante do cerco e da guerra", discursou o homem forte do Hamas no local, Ibrahim Salaf.

As fotos do casamento relatam o resto desta história sórdida:

31/8/09  

Enviar um comentário

<< Home