12.3.09

O direito a ter direitos...

De há muitos anos que a legislação permite aos professores assistirem a reuniões sindicais, embora se imponha um limite, como é natural. Que eu saiba, até agora, não se levantaram dúvidas sobre a aplicação da lei, fosse a reunião realizada no local de trabalho ou se centralizassem essas mesmas reuniões por uma questão logística.
Tomei conhecimento que, num agrupamento de escolas próximo de Viseu, o presidente do conselho executivo foi questionado pela directora regional do centro (DREC) acerca da justificação apresentada por alguns docentes que estiveram presentes em reunião sindical efectivada no passado mês de Fevereiro.
Sabendo eu quem está à frente da DREC, espanta-me esta tomada de posição. Quem ouviu a dita senhora em inúmeroas acções de formação não pode deixar de estranhar tão inusitado quanto pretensioso rigor com a aplicação da lei. O autoritarismo demonstrado só vem provar que o poder cega e aquilo que se defendia tempos atrás caiu no caixote do lixo do esquecimento. Atitudes como esta já nem me provocam urticária, apenas um sorriso de desdém por estas pobres almas que, em obediência ao chefe, mostram que coluna vertebral é coisa que perderam há muito...

Etiquetas: , ,

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Como diz o Millôr Fernandes "o poder corrompe e o poder absoluto corrompe muito mais"

12/3/09  
Anonymous toino do campo said...

...com a agravante de o tribunal já ter dito (e confirmado) explicitamente que as ordens do secretário valter não são para cumprir, porque não são legais.

Mas este governo tb já nos habituou à ideia de que funciona segundo o princípio de Frei Tomás: o chefe dele bem diz que cumpre a lei e que, portanto, todos (profes incluídos) têm que a cumprir. Ele bem diz -- mas de cada vez que fala o nariz de pinocrates cresce, cresce, cresce...

14/3/09  

Enviar um comentário

<< Home