10.6.09

As eleições

1- REVOLTA. A derrota do PS não foi uma manifestação de protesto; foi uma revolta. Se nos lembrarmos das perseguições de carácter político-partidário, da teimosia arrogante sob a capa de "decisão", das medidas gravosas de que não há memória na função pública, da constante propaganda nas TVs-excepto TVI-, jornais e rádios feita de modo acintoso, só podemos concluir que a votação não foi protesto, foi revolta dos eleitores.
2- SONDAGENS- Na sexta-feira, todas as sondagens davam a vitória ao PS entre 2% a 4 % a mais sobre o PSD (excepto a MARKTEST que dava 0,5% de vantagem ao PSD). Isto reflecte a vontade dos eleitores em não dar a conhecer o sentido de voto! Tal era(é) o ambiente de cariz totalitário que se criou na sociedade portuguesa.
Daí que os resultados tenham sido "SURPRESA"; como foram as Autárquicas de 2001 com Guterres.
3- SOCIALISMO- É sabido que o socialismo é, em si mesmo, totalitário e concentracionário: visa colocar nas mãos do Estado o poder económico, cultural, mediático para os titulares dos cargos do Estado utilizarem esse poder de acordo com os objectivos/ambições próprios. Isso está bem patente na forma como se perseguiu a TVI, como se faz uso da economia com interesses político-partidários (GALP-Chávez- F.Gomes-Soares;CGD-BCP-Vara; PINs; coacção-subsídios sobre empresas,etc.,).
4- RANGEL-MFL: MFL é a grande vencedora do escrutínio! Porque não há nenhuma TV, Rádio ou Jornal ou "analista"-ou blog, talvez uns poucos- que afirmem que MFL é a líder ideal para o PSD! A escolha de Rangel (bem como a estratégia) foi contestada mesmo nas cúpulas do seu Partido. MFL escolheu a confrontação com o PS/Governo, colocou de lado as questões Europeias, e escolheu o candidato que lhe dava mais garantias de sucesso.Acertou! Em pouco mais de um mês, o avanço do PS nas sondagens passou de + 10% para derrota por 6%!
No fim da campanha, adversários internos-como LFM- vieram a terreiro defender a estratégia de MFL; e mal imaginavam a vitória.
5-LEGISLATIVAS-Até há bem pouco tempo, a discussão era: Sócrates ganha com maioria absoluta ou relativa? A partir de agora, já se pode questionar se Sócrates ganha em Setembro. É que este Governo não tem capacidade para enfrentar as crises (internacional e interna), o desemprego vai aumentar, a instabilidade social também, a insegurança, o caos na Justiça, Educação,etc. O PSD e MFL só têm que acabar com os falsos mitos de que o desemprego, a pobreza, a precariedade são "preocupações" da esquerda, apresentar programas de apoio às PMEs, de combate ao desemprego, explicar com clareza que as obras faraónicas são uma grave hipoteca para as gerações futuras. Já há estudos que davam 110 deputados ao conjunto PSD/CDS se os votos das Europeias acontecessem para as legislativas. Não é possivel fazer extrapolação correcta- a abstenção penalizou o PS. Mas demonstra que é viável uma alternativa, quando até há pouco era por todos negada.

Etiquetas: ,