7.10.19

A GRANDE VITÓRIA DO PARTIDO SOCIALISTA

Podemos ver já num excelente trabalho do CM o nome e currículo de 226 deputados eleitos dos 230 que compõem a Assembleia da República, escolhidos pelos eleitores  em 05 de outubro de 2019 e principalmente pelos partidos.
A grande vitória do Partido Socialista e em especial de António Costa sabe a muito pouco, Pode até dizer-se um flop.
Para quem ambicionava a maioria absoluta, dada como adquirida nos últimos dois anos, foi um golpe duro.
Na realidade, o PS obteve 36,65% dos votos, o que fica bastante longe das sondagens deste ano, da falta de estratégia de Rui Rio, da dificuldade de afirmação de Assunção Cristas nos últimos tempos (recordemos os resultados nas eleições para a Câmara de Lisboa, que foram excecionais para o CDS) e da submissão de BE e PCP à geringonça.
Os 27, 9% do PSD também são uma derrota. Derrota que se deve à ilusão (onde foram "descobrir" isso?) de que o PS e Costa se queriam ver livres da extrema esquerda e, portanto, o melhor seria uma coligação com o PSD!
Inacreditável!
R Rio e a sua equipa nem perceberam que, com a geringonça, o governo PS mantinha PCP e seus sindicatos controlado? e que isso lhe permitia uma certa paz social?
Quando Rui Rio foi eleito o que faltava em Portugal era uma verdadeira oposição à geringonça, oposição frontal, visto que os erros e abusos eram enormes. Curiosamente, quem fazia oposição (e subiu bastante nas eleições...) era o BE, com críticas diárias, enganado o povo, porque logo a seguir aprovavam o orçamento de Centeno. Desde a incúria nos incêndios de 2017, devida essencialmente ao caos nos serviços por causa do amiguismo incompetente nas nomeações, e ao desprezo por quem vive no interior...supostamente, para a esquerda, pessoas arcaicas, retrógradas, amarradas ao seu quintal...a que se seguiram as férias de 1º ministro de A Costa, havendo vítimas nos hospitais, e o perigo de continuação do desastre....
Com um SNS que mata mais do que salva, por causa das cativações orçamentais que deixam serviços, profissionais, medicamentos, análises clínicas e materiais ao nível do 5º mundo...
Nunca é demais relembrar a dificuldade em dispôr de vinte milhões de € para a ala pediátrica do instituto de oncologia do Porto. Total desprezo pela vida humana, agravado por se tratar de crianças.
O único erro grave do governo que Rio fez questão de explorar, e bem, foi a palhaçada de Tancos, palhaçada séria, tendo em conta que se trata de armas e de Forças Armadas. E que lhe valeu subida imediata nas sondagens...mas logo a seguir, deitou tudo a perder com a questão da justiça, que nem se compreende como Rio andou enrolado nesse fracasso.
Assunção Cristas teve resultado desastroso: 4,25% dos votos é derrota. A sua tarefa não era fácil. Aliás, se virmos os votos espalhados pelos pequenos partidos à direita do CDS, e partindo do princípio que mais de 90% eram CDS, visto que a abstenção se manteve, o CDS teria à volta de 8%, acima da CDU e portanto afastado mau resultado.
Muito digna, como seria de esperar, a atitude de Assunção Cristas, em convocar um Congresso e demitir-se.
Aliás, motivos muito mais fortes para demissão aconteceram com o Governo e Costa: as vítimas mortais dos incêndios, Tancos, o domínio de famílias no governo, os empréstimos ruinosos da CGD envolvendo figuras do PS..
Os acontecimentos da última sexta feira em que Costa, primeiro ministro rodeado de seis seguranças (sim isso de chamar S-G do PS é treta, porque ele continua com mordomias de governante...) tentou agredir um idoso é um ato nojento, covarde e que levava a uma derrota eleitoral bem pesada e fim da carreira política, pois, se Portugal fosse um país civilizado.
Costa tem a quase totalidade dos media a fazer campanha pela sua carreira política.Praticamente, não há um único órgão de comunicação social que não seja propagandista do governo.
Dá para ir bastante, em algumas ocasiões. A Eurosodagem/Expresso garantia na primeira página há cerca de um mês, que pela primeira vez o PS ia ganhar em todos os círculos eleitorais!!!
Ah grandes J. Vieira Pereira e R Oliveira e Costa: que falhanço rotundo....
Nesta legislatura, muito se vai escrever, falar, caluniar e insultar André Ventura. Faz-nos reviver os tempos de 1974/75 /76 em que a extrema esquerda stalinista e muitos PSs vomitavam ódio, raiva, frustrações e traumas contra os "fascistas", ou seja, quem verdadeiramente defendia um Estado de Direito Democrático. Ficou célebre um discurso na AR de Acácio Barreiros da UDP (antecessora do BE) roncando sem cessar contra o fascista Spínola.....
Tempos em que o imperialismo URSS, com as armas do MFA, queria os portugueses na miséria, morrendo à fome, no obscurantismo marxista....
Vamos voltar a rever esses discursos de ódio de quem nunca, mas nunca, quis a democracia com direitos humanos em Portugal.

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , ,

0 Comments:

Publicar um comentário

<< Home