22.6.08

Meu Destino, linha do Horizonte...


terá sido mera obra do acaso.


direi, do Destino.


num tímido deslizar de porta, foram as palavras macias que anunciaram a tua sombra. olharam a brancura do meu lençol e nele se estenderam, sinuosas e interessadas. sem nome, sem rosto. acariciaram-me na distância do meu olhar e num apelo mudo, estenderam a sonoridade das sílabas, invadindo os meus sentidos, adoçando a minha boca.


e falaram-me de sonho e de vontade, de querer e solidão, de pó do deserto e frescura de mim… e brincaram, brincaram por mim, querendo conhecer meu cheiro, meu sentir, meus contornos e suavidade do moreno da minha pele…


… quando roçaram a porta da minha Alma, eu percebi que era eu o seu Horizonte.

Etiquetas:

7 Comments:

Blogger Carla said...

E no Horizonte abraçamos a imensidão de nós mesmos e dos outros...
Boa Semana

23/6/08  
Anonymous Anónimo said...

Mais uma vez ALMA.
Enches-nos a «A NOSSA ALMA»
Obrigado, pelo gesto simpático.
Sou uma anónima.
E gosto de te ler, principalmente, quando a moral está mais fragilizada.
//LEVANTAS-NOS O "EGO"//
ML
PARABÉNS, COMO SEMPRE.
Só acho que o toino do campo, anda um Bocadinho Malandreco?????!!!!!!!!!!!!!!!!

24/6/08  
Blogger Mari said...

Muito linda a poesia...
Adoro horizontes!!!!
Beijos, mari

24/6/08  
Blogger Mari said...

Este comentário foi removido pelo autor.

24/6/08  
Blogger almàjanela said...

carla

bonita conclusão para quando se quiser...

beijinho e obrigada

alma

28/6/08  
Blogger almàjanela said...

anónima

q bom que t faço bem!

ora, ora... parabéns a vocês, a ti, q têm paciência p m ler... rss

o toino é um brincalhão com um caramelo a prender-lhe os dentes... rss

(toino, não se zangue, p.f. bjinho p si tb)

a.

muito obrigada e bjs mil para ti.

alma

28/6/08  
Blogger almàjanela said...

mari

muito obrigada...

que seria de mar(i) sem horizontes?

rss

bjs mts

alma

28/6/08  

Enviar um comentário

<< Home