18.6.08

Tríptico - Poema da Semana


O Livro dos Amantes

Natália Correia

II

Harmonioso vulto que em mim se dilui.
Tu és o poema
E és a origem donde ele flui.
Intuito de ter. Intuito de amor
Não compreendido.
Fica assim amor. Fica assim intuito.
Prometido.
IV

Dá-me a tua mão por cima das horas.
Quero-te conciso.
Adão depois do paraíso
Errando mais nítido à distância
Onde te exalto porque te demoras.

VIII


Eis-me sem explicações
crucificada em amor
a boca o fruto e o sabor
.




Etiquetas: ,

5 Comments:

Blogger Mari said...

Este comentário foi removido pelo autor.

20/6/08  
Blogger Mari said...

Refazendo, rs

Oie!!!!

Faltava você aparecer....é sempre bom um ar feminino...
Achei lindas as poesias que postou, bem como essa..
Lindo o poema...
Somente vi agora, fiquei preocupada com o osátiro, tinha achado que havia ficado chateado comigo...somente eu mesma! beijos. amiga dos amigos. marii
Fica agora direto tá!? Felicidades e paz!

20/6/08  
Blogger almàjanela said...

mari

eu, almàjanela, n sei a que se refere.

obrigada pela apreciação feita ao poema.

de resto, as relações de osátiro n me dizem respeito pelo que n poderei acrescentar nada relativamente a esse assunto.

ah! e também não li o comentário q, entretanto, foi eliminado.

beijinhos para si,

alma

21/6/08  
Blogger Mari said...

Oi alma,

Eu eliminei o comentário porque errei na escrita.
Com o osátiro está tudo bem, eu tinha escrito em defesa da mulher, no porque hoje é domingo....foi isso, e como ele tinha sumido do meu blog, tinha pensado que tinha ficado chateado, mas bobeira minha..coisas de mari...
Somente isso, beijos e bom restinho de semana.

25/6/08  
Blogger almàjanela said...

mari

aqui para nós, coisas d emulher com as nossas inseguranças... sei um "pouco" disso.

beijinho

alma

27/6/08  

Enviar um comentário

<< Home