13.10.11

Luís Archer

Morreu o Professor Doutor Luís Archer, antigo Presidente do Conselho Nacional para a Ética e para as Ciências da Vida (CNECV) e especialista em genética, no sábado, dia 08 de Outubro, em Lisboa.

Luís Jorge Peixoto Archer foi, porventura, o maior cientista Português do século XX e tinha 85 anos, sendo uma referência incontornável na bioética e genética em Portugal,.

Na página dedicada aos "antigos estudantes ilustres da Universidade do Porto", esta instituição apresenta Luís Archer como um "brilhante cientista e homem de fé" que "ensinou Genética Molecular em mais 13 faculdades, editou múltiplos artigos científicos sobre Bioética e Genética Molecular, coordenou quatro obras e escreveu mais seis livros".
Luís Archer nasceu na cidade do Porto a 5 de Maio de 1926.
Em 1947 licenciou-se em Ciências Biológicas na Universidade do Porto.

Com 19 anos de idade passou a assistente e começou a dedicar-se à investigação científica.

Todavia, é muito pouco conhecido da população portuguesa!

Porquê?

Porque era Padre Católico e Jesuíta.

E a pseudo- cultura dominante neste País (Universidades; Associações; Comunicação Social...) é retrógrada, jacobina, medíocre e sectária.

É controlada por traumatizados cheios de raivinhas que precisam de odiar algo (que não lhes faça mal...) para sublimar essas frustrações. E esse algo é a Igreja Católica Apostólica Romana.

Por isso, Luís Archer foi votado ao esquecimento e a sua obra grandiosa afastada do Povo em geral.

A pseudo-cultura jacobina, mafiosa, corrupta do avental quer intoxicar as pessoas com as mentiras de que a ICAR significa analfabetismo, ignorância, escuridão.

Para isso, censuram os maiores cientistas portugueses ( e, por inerência, católicos), na cultura e nos "media", utilizando os embustes mais ignóbeis para manter o Povo na ignorância e na crença fictícia de que o ateísmo ou o agnosticismo é que significam cultura.

Utilizam os mesmos métodos com Joseph Ratzinger.

Como não têm capacidade intelectual para perceber as suas lições, procuram as frases mais simples, retiram-nas dos contextos (que não entendem...) e vomitam o jacobinismo da praxe.

Para além de cientista de méritos firmados, Luís Archer era um Humanista na verdadeira acepção da palavra...como é natural, sendo Padre Católico.

Passados estes dias sobre a sua morte, o que foi escrito ou dito pela comunicação social em notícias ou reportagens?

Exacto!

A mediocridade jacobina e arcaica a impôr ignorância e ileteracia no Povo...

Etiquetas: , , , , , ,