14.5.08

Daniel Cohn-Bendit e as Olimpíadas

Daniel Cohn-Bendit, líder do Maio/68 em França e actual deputado de "Os Verdes" no Parlamento Europeu, integra uma iniciativa que propõe uma posição comum da UE visando um boicote político à abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, de modo a que a UE e os líderes Europeus "não se cubram de vergonha", segundo as suas palavras.
Os proponentes-onde se incluem José Ribeiro e Castro do CDS e Paulo Casaca do PS- querem que o PE debata os direitos humanos na China e no Tibete em duas sessões, antes e depois dos Jogos.
Muitas vezes criticámos Daniel Cohn-Bendit neste blog.
Agora merece o nosso inteiro aplauso!

Etiquetas: , , ,

8 Comments:

Anonymous vitor m said...

Pois é, de há uns anos para cá (sobretudo desde o fim dos fascismos), a direita tem a mania de que são eles os paladinos da defesa dos direitos humanos.
A esquerda, bem entendido, também tem essa pretensão.
A verdade contudo é que a defesa destes direitos não é, actualmente, património nem de uns nem de outros.
Porquê?
Porque ambos os espectros políticos têm as mãos sujas...

14/5/08  
Blogger O Árabe said...

É fato, Vítor. A liberdade sempre merece o nosso inteiro aplauso!

15/5/08  
Blogger Joana Dalila Santos said...

Se merece! =)

15/5/08  
Blogger osátiro said...

VM há aí umas confusões.
Sempre houve direita democrática defensora dos direitos humanos.
De Gaulle era de direita, lembra-se?(Enquanto Miterrand foi algum tempo colaboracionista de Vichy).
Reagan foi o grande impulsionador da queda de Pinochet, Marcos, e outros regimes autoritários de direita na América Latina.
A transição democrática em Espanha foi feita por Adolfo Suárez e Calvo Sotelo(com importante impulso de Juan Carlos, reconhecido por partidos de esquerda), ambos de direita, enquanto em Portugal se fazia a vergonha do PREC.
Mas o Daniel, quando andava entretido no Maio/68, não ligou nada às ditaduras do Leste nem à invasão soviética da Checoslováquia.
Assim como muitos críticos da invasão do Iraque(em 2003) estiveram em silêncio criminoso durante a invasão e ocupação do Tibete que tem 50 anos.
Acordaram agora!

15/5/08  
Anonymous vitor m said...

A diferença entre os erros da esquerda e os da direita conta-se em séculos ou até em milénios.
Explico-me: a esquerda tem um século de vida com muitos erros e algumas virtudes. A direita governa a humanidade praticamente desde que ela se começou a organizar em estados/nações.
A direita, dada a sua experiência no poder, deveria já ter-se expurgado de práticas totalitárias bem conhecidas.
A esquerda, nova nestas coisas de governações e seguindo o mau exemplo da direita, no meu entender, não fez ainda a necessária reflexão e correcção dos erros que outrora apontava à direita.
De uma forma muitíssimo simplista é assim que vejo estas "confusões"...

15/5/08  
Blogger osátiro said...

VM, sim, bastante simplista.
Mas de qualquer modo, sinto orgulho em ter na direita D.JoãoII, Afonso Henriques,D.JoãoI,Infante D.Henrique ... e até Vasco da Gama que foi catalogado de Direita por Vasco Lourença quaando criticou a escolha do nome para a ponte.

Sobre a esquerda, entre outros:

"Os Ditadores" de Richard Overy
"Mao A História Desconhecida" de Jung Chang Bertrand Editora

15/5/08  
Blogger osátiro said...

Noutro registo:

"Cuba Nostra Os Segredos de Estado De Fidel Castro" De Juan Vives
Ex agente secreto de Fidel com revelações bombásticas censurads pela comunicação social

15/5/08  
Blogger osátiro said...

VM apesar de considerar o comentário simplista não significa que não lhe dê alguma razão no que se refere à direita.

15/5/08  

Enviar um comentário

<< Home