25.6.08

Aliança Zapatero-Manuela

No último Congresso do PSD, Manuela Ferreira Leite criticou a política de grandes investimentos em obras públicas- que considerou desnecessárias e com falta de dinheiro para as mesmas-, quando a crise do País justificava que se apoiassem as pessoas mais vulneráveis.
Apareceram logo os escribas-extensões do governo socialista a criticar estas preocupações.
Li, por exemplo, Armando Esteves Pereira no CM: obras públicas é que é bom, desenvolve o País; nada de "cheques caridade"!
Este desprezo cínico por quem recebe menos de 300€€€ por mês é típicamente socialista; basta comparar os aumentos das pensões de Reforma mais baixas feitos por este Governo e pelos de Barroso/Santana; e com Cavaco então nem se fala!
Mas esses escribas cínicos não se arriscam a viver com menos de 300€/mês: isso é para os pobres! E nada de cheques caridade; que se desenrasquem...
As grandes obras públicas têm sempre derrapagens nos custos(o Metro do Rossio e o Hospital de Matosinhos são dois bons exemplos), como o Tribunal de Contas tem realçado; e isso envolve muitos interesses.
Mas a notícia mais bombástica vem de Espanha: sofrendo uma quebra notória na actividade económica, parece que o Governo Zapatero vai cortar nas obras públicas-tal como Manuela preconiza!- e dar prioridade às questões sociais.
E em concreto, noticiou-se que o o TGV até Badajoz não vai chegar na data acordada (2012 e não em 2010) nem com a velocidade de projecto prevista (250 Km/h em vez de 350 Km/h).
A ligação Lisboa Caia/Badajoz está prevista só para 2013.
Estas novidades levaram mesmo o Ministro Mário "Jamais" Lino a escrever à sua homóloga Espanhola Magdalena Álvarez.
Ora aqui está como aquele rosto tão pouco simpático de MFL é muito mais social do que toda a propaganda socialista do Governo/escribas subservientes.

Etiquetas: , ,